domingo, 11 de setembro de 2016

Dualidade - Verônica Mell

Ville de Honfleur - Normandia - França

       
             De jeito muito quieto,
             Sonhador,contemplativo.
             Um ser introspectivo,
             Aceita. Não reclama.
             Apenas observa...
             Outro mais ardente.
             Que reside no primeiro.
             Com voz firme esbraveja:
             Quer liberdade,
             Voos livres!
             Sem freios,
             Nem amarras,
             Como um fogo de vulcão,
             Deixa marcas, onde passa.
             É sentida nessa dualidade,
             A falsa moral. A sociedade
             Com normas pré-fixadas,
             Tornando-o passional...

                 ( do livro :"Retrato, Breve Como o Vento"- Verônica Mell - 1996 )
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário