sábado, 12 de março de 2016

JOGO DE POETA- Verônica Mell

Amsterdã - Holanda


            Jogo com as palavras,
            Faço versos...
            Será que são meus?
            Falo de ilusões,
            De sentimentos...
            Sou poeta
            Amante
            Sonhador...
            Cantador de emoções!
            Eu sou você,
            Nesta correte de lirismo.
            Somos todos iguais no amor!
            Pego num livro
            De versos soltos,
            De mesma fala...
            Tudo se iguala!
            Os poetas se assemelham...
            Alguém, já disse o que escrevo.
            Alguém ,já escreveu o que digo.
            Quem não travou batalhas?!
            Já,não foi o vencido ou o vencedor?
            Somos todos poetas da vida...
            Curando feridas ou,
            CANTANDO O AMOR!!!

                                 (Verônica Mell)

       (da Antologia "Jardim Poético", organizado por Wilson Jasa- 1991 )


           

             

quarta-feira, 9 de março de 2016

NO LAR DA ESQUINA - Verônica Mell

Atenas - Grécia


                  Menino de rua
                  Que mora na esquina
                  Do "lar do mundo."

                  A sua morada,
                  Na noite calada,
                  Tem teto de estrelas
                  No banco da praça.

                  Menino que passa,
                  De olhar perdido,
                  À procura de amor.

                  - Que fez o menino
                  Tão pequenino ?!

                 -  O mundo o aprisionou,
                 Sem grades. E o deixou
                 No cativeiro da miséria.
                 Pobre prisioneiro!

                 No vai-e-vem da vida,
                 De alma ferida,
                 O menino sem lar
                 Quer alguém para amar.

                 Ah! Menino vadio!
                 O mundo vazio
                 Não quer enxergá-lo,
                 Mas Deus vai amá-lo !
                                               Verônica Mell

                       ( Poesia Premiada na Antologia do" Concurso Poesias- Crônicas USF- 1993 ")
         

terça-feira, 8 de março de 2016

NO REINO DE UM DIA - Verônica Mell

St. James's Park - Londres

                 Eh! Mulher!
                 Que o mais pesado,
                 seja de ti afastado.
                 Um dia de luz,
                 sabor de alcaçuz !

                 Eh! Mulher!
                 O reino de um dia,
                 quem diria!
                 Luta  não espera,
                 por direitos iguais.
                 Seja fera ...
                 em dias reais.
                 Use o bom-senso,
                 não é contra-senso!

                 Eh! Mulher!
                 Denuncia o delito,
                 do direito proscrito!
                 Afinal, é o" seu dia"!
                 Dia internacional!
                 "Rainha do lar",
                 vem mascarar
                 tudo ...
                 Mesmo a mercê
                 do título,ache
                 o seu melhor!
                 E... relaxe!
               
                 Eh! Mulher!
                 Tudo o que adular,
                 bem consciente,
                 de presente!
                 O beijo e o abraço
                 galanteador...
                 num laço.
                 O que perfumar,
                 o bombom,a flor.
                 Que venha :
                 " um café e
                 um amor. Quentes,
                 por favor ..."
                 Afinal você é Mulher,
                 codinome : Amor
           
               
                                 (março 2016 e 2017)
           

                     De Caio Fernando Abreu : "Um café e um amor.
             Quentes,por favor.Pra ter calma nos dias frios,pra dar
             colo quando as coisas estiverem por um fio."      

sexta-feira, 4 de março de 2016

TEMPO DE AMOR - Verônica Mell

Londres - London Eye

                  Em suas mãos
                  deixei-me ficar...
                  Estou amando
                  ou, apenas sonhando?
                  Que importa!
                  É tempo de amor...
                  Querido amigo-amado!
                  Querido amigo-amante!
                  Olhe a vida lá fora,
                  vista-se de sonho.
                  O dia é azul...

                  As nossas almas se confundem!
                  Há riso,sol e esperança...
                  É tempo de amor,,,
                  Vem comigo viver!
                  Deixa gotejar as lágrimas contidas.
                  sente o bem do meu bem-querer.
                  É seu abrigo meu abraço,
                  dou-lhe o filho sonhado...
                  Doce amado!
                  Planto uma árvore,,,
                  Por fim, falta apenas o livro
                  que vamos escrever.
                  Bem... Comecemos nossa história...
                  Porque é tempo de Amor!!!

                                              Verônica Mell

                           (da Antologia "Jardim Poético",
  organizado por Wilson Jasa -1991)