quarta-feira, 27 de junho de 2012

TROVAS SONHADAS - Verônica Mell

                     
                                                Praia de Santa Cruz - Portugal

              "Tenho que ter paciência para não me perder dentro de mim.  
               Vivo me perdendo de vista ." ( Clarice Lispector )
 
                        Recolhe o sol o seu brilho.
                        a tarde ,até chega amena.
                        Caminha a noite no  trilho
                        e... a lua na entrecena!!!

                        Se numa alma de poeta,
                        o sonho cresce  do nada!
                        Nem fica ... nem se aquieta
                        a noite, que vem tão calada.

                       Canto eu, da vida o encanto,
                       canto,e como, na beira do cais.
                       Canto bem no meu acalanto,
                       canto ... sinfonias imortais !
                         
                       Distribui alguns panfletos ...
                       uns e outros feitos na hora .
                       Para não ficarem obsoletos :
                       escrevi o amor de agora !

                       E foi numa linda passeata ,
                       cantando muito, só o amor .
                       Que a lua vestiu-se de prata
                       e o Cântico,a mais nova cor!
                       


                       
             

               

sexta-feira, 22 de junho de 2012

NO ROSSIO -TROVAS - Verônica Mell

Lisboa - Portugal

     
                          "Me encante com uma
                                          certa calma, 
                                          sem pressa
                           tente entender
                                           minha alma."
                         
                                   ( Pablo Neruda )

                        
                     E, que todo o amor atinja
                     o coração,tão malogrado.
                     E, na  vida nada se finja
                     ou... o deixe tão refreado!

                    Se tu soubesses a verdade,
                    que tanto vai na alma minha.
                    Verias amor sem maldade,          
                    que ao teu lado... caminha.

                    Minha alma...de criança,
                    não aprendeu nada da vida!
                    Procura  pela vizinhança
                    curar a tristeza sentida...

                    Era um orvalho rorejante
                    sobre nós dois, no Rossio.
                    Dum amor tão almejante,
                    dos que passavam pelo rio!

                   Neste meu sonho eventual...
                   vinhas a mim,com certeza.
                   Tinha o direito autoral...
                   quem o visse com nobreza !


    ( rocio : orvalho -  Rossio : praça grande )

                    
                   
    
                 


    
 


                                         
                                

DEUS POETA - TROVAS - Verônica Mell



                     E, era  dentro lá de um vagão,
                    a paisagem que vi de fora .
                    Natureza em atuação :
                    o raio de sol,no bota-fora!!!

                    Este meu rebanho é de trovas,
                    que  pastoreio em campo d'amor.
                    Umas velhas, outras até bem novas,
                    com cheiro de mato... e de flor!!!

                    Quando uma amarela folha cai :
                    outono é a estação .
                    E,da benção de Deus sai :
                    o milagre da emoção !!!

                    O sol se surge dadivoso,
                    benção da Mãe Natureza,
                    é a luz do raio brilhoso...
                    que produz tal boniteza!!!

                     É  nos sons da Natureza
                     que há a orquestra de Deus.
                     Clamando além, com certeza 
                     fiel, aos amados filhos seus!

                     Bem,Deus é o grande poeta
                     que orquestra essa natureza.
                     E,depois Ele  a etiqueta :
                     com amor e sua beleza !!!
                    

                   

               

quarta-feira, 13 de junho de 2012

ENTRE VERDADES E TROVAS - Verônica Mell



              " A vida é uma peça de teatro que não permite ensaio.
           Por isso,cante,chore,dance,ria e viva intensamente,antes
           que a cortina se feche e a peça termine sem aplauso ."
                     (Charles Chapplin )


                            Ante minhas realidades
                            grito eu, o amor pela Vida...
                            Num palco de sinuosidades
                            ou, na cena de sobrevida...

                            Segredo: viva o teu presente,
                            escolha os sonhos ... é agora.
                            Rápido...ou bem de repente,
                            a gente se vai... é embora!!!

                            Tracei eu, um caminho reto,
                            a vida quis uma, mais curva.
                            E,agora... só por decreto,
                            de novo vai e,o recurva!!!

                            As estrelas são sonhos de Deus,
                            junte aos sonhos todos da Terra...
                            Não  esqueça também dos meus,
                            que aqui ... tudo se encerra !!!

                            Numa amizade atuante,
                            de verdadeira união...
                            Há o gesto bem abdicante,
                            de licença e premiação ...
                                        

 

                             

                             

NOVA ROUPAGEM - TROVAS - Verônica Mell



                         Eh! ... você Fulano de Tal !
                         Volte logo para a  poesia.
                         Com  a  outrora força total,
                         trazendo amor no dia-a dia...
                         

                         Quero um levado cafuné
                         quebrando a tal quietude.
                         Não me deixe,aqui de pé,
                         vivendo... esta torpitude !
                           
                         Nos dizeres,eu te repito :
                         - Não há amor como o meu.
                         Grita o coração aflito ...
                         que há muito, já se perdeu .
                     
                         Seque a lágrima que cai,
                         e mate a tristeza, só minha.
                         A saudade que vem-e-vai
                         mate,até de manhãzinha !!!
               
                        A saudade que se aquieta,
                        vai-e-volta,não tem jeito .
                        Depois como um  profeta :
                        canta  alto a dor no peito!!!
                    
                   
                 

                         

                       



terça-feira, 12 de junho de 2012

NOSSA ORAÇÃO - Verônica Mell

Maceió - Alagoas - Brasil

    

                     A cada dia me renovas,
                     A cada instante radiante,
                     A cada ponto do encontro,
                     A cada enfoque de um toque.
                     Torno -me  mulher...
                     Sem retoques!
                     Nova aprendiz,
                     Feliz.
                     Perplexa!
                     Anexa ao paraíso
                     Das nossas madrugadas,
                     Bem-amadas.
                     Seres afortunados,
                     Ardentes...Inebriados.

                     O mundo emudece,
                     Na alvorada desta estrada.
                     Em tom de prece,
                     Caimos nós na rede do Amor.
                     Amantes constantes,
                     De coração em oração,
                     Transformando a alquimia
                     Dos versos da nossa poesia!!!
'
        ( do livro:" Retrato Breve Como o Vento ",Verônica Mell- Página 12)