quarta-feira, 18 de maio de 2016

Sonho Vivido - Verônica Mell

Vila de Óbidos - Portugal
   
        Levar a alma inteira,
        deixar os poucos pedaços.
        Viver o que a hora esculpe
        distante, em noites de lua.

        Na harmonia do silêncio
        aquietar-se, sem platéia
        ou ofensas doridas.
        Correr o mundo...!

        No mar ... à noite,
        ouvir histórias!
        Sair da mesmice,
        que chatice!

        Não quero chocar você,
        longe de mim!
        Sem rumo...
        Minh'alma é assim!

        De pés voltados prá frente,
        cansada de tanto andar.
        Em plena tarde sozinha,
        buscando poetas perdidos.

        Fazer uma loucura do nada,
        às sombras das árvores...
        pela estrada!
        Assistir alvoradas e luas,
        deixando saudades no asfalto.
        Senhora d'um sonho vivido!

                         ( maio 2016 )

terça-feira, 17 de maio de 2016

Surpreenda-me - Verônica Mell

Manarola - Cinque Terre - Itália

        Surpreenda-me com o esperado
        inesperado...
        Surpreenda-me com o que desponta
        e, não desaponta.
        Surpreenda-me com a alvorada
        ou um quase nada.

        Surpreenda-me com o enfeitiçar
        do seu atiçar.
        Surpreenda-me com esse amor
        violador.
        Surpreenda-me com a timidez
        da vez ...
        Surpreenda-me com o traço
        de cansaço.

        Surpreenda-me com a parte
        que reparte.
        Surpreenda-me com a bobeira
        da brincadeira!
        Surpreenda-me com o repertório
        inspiratório...

        Surpreenda-me sempre,
        porém ... tenha em mente :
        surpreenda-me vigilante.
        Nada... Nada vacilante!
        Surpreenda-me ,
        com nosso retrato...
        Insensato!
        Mas, surpreenda-me à beira-mar,
        sobretudo... sem eu chamar!
       
                  ( maio 2016 )
     
     
                   


     
     

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Encantos De Lisboa - Verônica Mell

Alfama - Lisboa - Portugual


              O fado cantava
              amores perdidos
              de dias antigos...

              Por vielas históricas,
              serpenteia o bonde 28,
              na ladeira íngreme.
              Aqui e ali vi-me,
              tirando fotos da" Sé",
              em movimento...
              De pedras,o calçamento,
              as escadarias de Alfama
              nos levam à celestiais
              miradouros...
              À vestígios mouros!

              Surge a comparação:
              ingleses com os" pubs",
              parisienses as" boulangeries",
              em Lisboa as" pastelarias",
              com doces cheios de creme,
              cafés expressos...
              Da tarde, esse é o leme,
              para matar o tempo...

              Ah! A massa folheada
              dos pastéis de nata!
              - suspira até o magnata.
              Como apagar da saudade
              os aromas... a lua de prata?
              As ruelas com casas antigas,
              os sabores... e,o reconforto
              do vinho do Porto?!

       
                                   ( maio 2016 )
     



quarta-feira, 4 de maio de 2016

De Carona Contigo - Verônica Mell

Portofino - Itália

             De carona contigo,
             construí novas pontes.
             Levei-me inteira...
             por outros caminhos.
             Não há tempo-espaço !
           
             De carona contigo,
             saí da estrada.
             Larguei tudo e nada!
             Morei numa praia,
             dormi no celeiro...
             E, no nosso terreiro
             semeei novos sonhos.

             De carona contigo,
             levei risos e flores.
             Larguei os amores!
             Perdi-me no abraço,
             do nosso compasso.

             De carona contigo,
             acendi uma fogueira
             de cor azulada.
             Ali, mesmo na terra,
             abri a janela velada.
             Dancei na florada
             da mata, na serra!
             .
             De carona contigo:
             escalei o arco-íris,
             bebi do orvalho,
             banhei-me na lua.
             Emprestei ...
             das estrelas:
             o brilho... A luz!

             De carona contigo
             perdeu-se a razão,
             achou-se afeição.
             O amor que conduz,
             de carona contigo,
             é o que me seduz!
           
       
                           ( maio / 2016 )
           

         

           

terça-feira, 3 de maio de 2016

A Canção Da Lira - Verônica Mell

Manarola - Cinqueterre - Itália
       
           A lira surge do nada,
           com sorriso aberto,
           canta o azul do céu!
           A dança da brisa
           alumia lembranças,
           desperta saudades.

           A preguiça do dia,
           estica-se...
           O cair da tarde,
           saborei ...
           com o olhar, o turista
           no seu vai-e-vem.
           Outra meia-volta !

           Adiante, agonizante,
           o dia .
           Em contra ataque, a lua
           na soleira,
           matreira, espia...
           Abre-se o leque de estrelas
           em saudação à noite faceira.
           Ah! O cheiro de erva-cidreira!

           A alquimia arrelia
           o compasso do peregrino,
           o matraquear do sino,
           o passar das horas...
           A resposta da Natureza,
           em outra proposta .
           Ao quedar-se de mais um dia,
           desfila o serenar da noite !!!

                        (maio / 2016 )