segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

O CORAÇÃO E A ALMA - Verônica Mell

Miconos - Grécia
   

                   A alma põe-se a vagar,
                   conta as estrelas do céu,
                   guarda em cada uma
                   aquilo mais  almejado.
                   Mas... a tristeza profunda
                   caminha vagabunda...
                   Fazendo a alma chorar !

                   Se aquieta coração,
                   arquiteta um plano.
                   No peito, a nobreza
                   deixa. Com certeza,
                   tudo vai melhorar.
                   Canta pra alma triste,
                   diga-lhe com sutileza
                   que o tempo é santo remédio
                   que cura os males do mundo,
                   do mais leve ao mais profundo.
                   A ferida?! Há de se curar!

                    Segue a lua no céu
                    que alumia o caminho
                    da pobre alma sem rumo.
                    Desenha um lindo sorriso,
                    apaga a tristeza dos olhos.
                    Não conta toda a verdade.
                    Ah! Coração !
                    A alma anda calada,
                    chora quase do nada.
                    Forte melancolia
                    percorre seu dia !
                    Diz uma doce mentira
                    e da saudade a tira.

                     Não se entregue
                     ao pranto da alma .
                     Isso lhe faz mal,
                     não o acalma.
                     Pode até o matar!
                     Muda o rumo,
                     pegue carona
                     na estrela mais alta!
                     Se cuida coração,
                     o amor faz falta.
                     Ache outro e,
                     voe... voe sem parar
                     pelas ruas,por vielas,
                     pelas esquinas do mundo.
                     A noite que vem calma
                     adormece a dor da alma!
               
                                       

                                         ( dezembro 2016)

sábado, 10 de dezembro de 2016

TEATRO DE VARIEDADES - Verônica Mell

Praia Preta - Santorini - Grécia



           Num palco de variedades,
           no teatro da vida...
           desfilam os atores.
           Representação cênica
           de postura civilizada,
           chamada educada.

           Beijinhos cá e... lá...
           Fachada de harmonia,
           meu amigo.
           Grande ironia,
           no contexto social!
           Ai de quem sair da linha,
           vai dar-se bem mal !

           A sorte lançada,
           o papel vem pronto,
           nada abusivo!
           Seja como tantos.
           Subversivo?!
           Será fatal...
           Autenticidade!
           Qual "o quê" da verdade?!
           Sem  resposta satisfatória,
           continua-se a jornada.

           Qual a missão?
           Sem compreender
           vamos no mesmo trem
           e, compartilhamos,
           algumas das vezes,
           o mesmo vagão,
           até assentos próximos.
           Cada um descendo
           numa  estação
           em tempos diferentes!

           Cai-se o pano...
           cerram-se as cortinas,
           apagam-se as luzes.
           Por que parece
           que nadamos
           contra a correnteza
           em alguns dias?
           Seguindo numa nau
           sem rumo...
           Cadê o porto seguro?!
           Cadê a utopia!!!

                              (dezembro 2016)