quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

CÓDIGOS - Verônica Mell











Copenhague - Dinamarca

     Pela manhã me levanto e,
     teço uma história de travessia,
     o que me mantém
     aquém e além da rotina!

     Do fio da meada
     crio códigos cifrados,
.    Mais nada...
     sou o único dono da chave
     na felicidade transitória
     da caminhada da vida!

     Num grande carrocel
     tudo vai girando,
     girando... e girando.

     De olhos inquietos
     volto-me pra dentro
     e, giro,giro... giro mais!
     Abandono-me
     ao momento repousante.
     Entrego-me aos campos,
     colinas e aos sonhos...
     Largo o caos da vida!

                     (fevereiro/2018)



terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

VOO - Verônica Mell


Chartres - França

             Além do voo da gaivota
             o poeta desenhou seus caminhos
             escreveu a história num poema...

             O enredo era meu,
             o cenário era meu
             o palco era meu
             O ator? Era eu!
             Um eu facetado
             se nutriu de Sonhos
             e Esperança...

             O enredo foi encenado,
             diferentes cores e matizes.
             Os personagens?
             Noutro palco... pela vida!
             Uma saudade extrema .
             Doía...doía...doía.
             O poeta?!
             Apaixonado pelas palavras
             que criam vida
             no meio da noite
             e,perdido em seus versos...
             Encena uma nova peça:
             "O Dilema..."

                   (fevereiro/2018)

FÊNIX - Verônica Mell


Paris - Ponte Alexandre III


          Ei menina!
          Larga essa desgraça
          que lá na frente tudo passa.
          Sempre podemos ser salvos,
          geralmente depois da escuridão
          vem a luz...
          Anda se produz!
          Não existe certo e errado no amor
          dos corações...
          A hora é agora de grandes emoções!

           Vem olha pra mim...
           De presente,uma flor de jasmim!
         
           O anjo!
           Cadê o querubim?
           Deixa-me explicar:
            - Tenho mania de anjos,
            complicado ou simples assim?!

            Cria seu destino!
            Usa da mitologia secreta,
            faz como a Fênix
            que põem fogo no ninho
            e, renasce das cinzas...

   
                     (fevereiro/2018)

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

CASANOVA - Verônica Mell

 
Veneza - Itália



         Sento-me na escadaria
         da intrigante Veneza,
         a "Rainha do Adriático"
         entre tantos outros títulos.
         É o local de nascimento
         de Antonio Vivaldi.

         Gosto da arquitetura,
         das pequenas ilhas
         separadas por canais
         ligadas por várias pontes.
         Das suas obras de arte!
         Uma cidade importante,rica
         em boa parte da sua historia,
         que sobreviveu ao tempo...

         Fascinam os segredos,
         as histórias antigas e,
         os grandes mistérios...
         A magia do desconhecido!
         Intrigas... Euforia...
         Beijos, arrepios...cios.
         Os amores perfeitos,
         outros desfeitos...

         Na janela o reflexo da lua,
         no pequeno quarto
         atrás da cortina, a moça nua.
         O rapaz sai pelo alpendre
         e, depois se arrepende
         do ato, no momento exato.

         Amor...
         Paixão de Casanova?

         De aura mágica,
         debochado e libertino
         Casanova foge,
         atravessa a Piazetta,
         se esconde numa gôndola
         e,parte por vinte anos.
         O que nos importa
         agora seus planos?!

                (fevereiro/2018)
 

       
       
     

RAZÃO - Verônica Mell



Veneza - Itália


                 Há mil e uma razões pra tudo,
                 estamos presos à vida...
                 "Amar é nosso destino!"

                Na atmosfera da manhã veneziana
                quente e úmida salto da cama
                e tomo meu café...
                Atravesso a porta giratória,
                saiu para desvendar Veneza,
                o amor cantado em prosa
                e verso pelos italianos...
                Como no filme "Veneza,a Lua
                e Você".Talvez piegas!
                Descobrir qualquer forma
                de amor válida que transforma
                tudo em encantamento...
   
                Atravessar as pontes,
                deslizar numa gôndola
                ouvindo uma bela canção
                pela Laguna...
                A brisa que arrepia,
                os caprichos da noite,
                uma doidice que aparece
                lentamente...
                Um sobressalto,o brilho do luar
                e, o ar quente...
                De repente
                tudo enlouquece a gente!!!
   
            (fevereiro/2018)

   

   

 

 




     

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

BASTIDORES -Verônica Mell


Acrópole de Atenas - Grécia



      Alguns amores
      cantam e encantam
      nas noites mais frias.
      Nos bastidores
      sussurram baixinho
      palavras tão doces.
      Mas,emocionam
      com a  lembrança!

       Amores perdidos,
       fixados no tempo.
       Vivem na memória
       do Universo...
       em outro alvorecer.
       Trazem no verso
       o gosto da saudade!

       Amores amigos,
       que escreveram
       poemas bem simples.
       Virando-se as páginas,
       cheias de doidice,
       lê-se  nome e sobrenome.
       Que sandice...
       no brilho das estrelas!


                        (janeiro 2018)
   

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

SINFONIA - Verônica Mell





Miconos - Grécia
 
     
           Era um dia azul,
           nós dois na rua
           de mãos dadas
           num dia qualquer,
           num amor de ontem.

           Hoje sem laço,
           nem embaraço,
           num lento passo.
   
           Perdeu-se...
           na sinfonia muda
           dum tempo longo.
           Sinfonia esquecida
           nos antigos sonhos.

            Sem motivo
            Sem público         
            Sem escândalo
            Sem sintonia...
         
            Sem nada aparente.
            Sem amor,
            numa fase ausente,
            sem personagem
            algum presente!
       
   
                                 (nov/2017)