segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

O CORAÇÃO E A ALMA - Verônica Mell

Miconos - Grécia
   

                   A alma põe-se a vagar,
                   conta as estrelas do céu,
                   guarda em cada uma
                   os sonhos desejados.
                   Mas,a tristeza profunda
                   caminha vagabunda ...
                   Fazendo a alma chorar !

                   Se aquieta coração,
                   arquiteta um plano.
                   No peito, a nobreza
                   deixa. Com certeza,
                   tudo vai melhorar.

                   Canta prá a alma triste !
                   Diga-lhe com sutileza :
                   - O tempo é um santo remédio
                   que cura os males do mundo,
                   do mais leve ao mais profundo.
                   A ferida?! Há de se curar!

                    Pega uma estrela do céu
                    prá alumiar o caminho
                    da pobre alma sem rumo .
                    Apaga a tristeza dos olhos,
                    não conta toda a verdade.

                     Ah! Coração !
                     Sua alma tão calada,
                     chora quase de um nada.
                     Forte melancolia,
                     percorre seu dia !
                     Vai pela noite ...
                     Diz uma doce mentira
                     que da saudade a tira.

                     Ah! Coração !
                     Não se entregue
                     ao pranto da alma .
                     Isso lhe faz mal,
                     não o acalma.
                     Pode até o matar!

                     Muda o rumo do olhar,
                     escreve outra história.
                     Aventura-se...
                     Evoca uma bela canção,
                     embala os sonhos.
                     Se cuida coração !
                     A noite que vem calma,
                     alivia a dor da alma ...
                                       

                                         ( dezembro 2016)

Nenhum comentário:

Postar um comentário